Menu páginas
TwitterRssFacebook
Menu Categorias

Publicado por em jul 23, 2013 em Bispo Inaldo Barreto, Blog, Colaboradores | Ninguém comentou

A Visita do Papa ao Brasil

A Visita do Papa ao Brasil

Toda visita anunciada gera uma expectativa, no caso do Papa, se espera um pronunciamento sobre a Fé, e um ou vários outros sobre doutrina e disciplina. A expectativa da figura do Papa como suposto representante de Cristo não parece ressoar na mente do povo, mesmo do povo chamado “católico praticante”, seria aqueleú povo chamado católico que vai à missa uma vez por semana, 17% segundo as ultimas pesquisas. Um número insignificante num país tão populoso.

I- QUAL IMPORTÂNCIA PARA O CRISTÃO?

Considerando cristão tanto os católicos como os protestantes, a importância da visita, para os primeiros é um ato de fé e de encorajamento da fé para um povo que tem uma crença difusa no universo espiritual, a maioria dos espíritas e também dos seguidores de orixás se dizem católicos, e muitos vão à Igreja nem que seja para lavar as escadarias da “Capela do Senhor do Bonfim”.
É importante para o Papa porque cumpre na sua consciência o dever de manter, expandir, e no caso do Brasil conter a evasão para outras igrejas (denominações). A causa da evasão não e muito fácil de se detectar, a Igreja Católica é de certa forma tolerante, não excumunga fiéis, quando é dura na disciplina sempre em relação a algum clérigo que ela ordena o silêncio, como no caso do Leonardo Boff, que em silêncio produziu bons livros como: Fundamentalismo (A Globalização e o Futuro da Humanidade) pela Editora Sistante.

Mas voltando ao assunto: “O Católico e a Visita do Papa”, nota-se por parte do povo um entusiasmo infantil, não se sabe bem o que o povo pensa em relação à visita do Papa e por exemplo a presença de Cristo em cada um dos cristão.
Pela pouca instrução cristã;  isto é, pouco discipulado cristão, pouco entendimento das escrituras, até mesmo pouco conhecimento sobre o que se ouve na celebração da Missa aos domingos o católico segue, mas não sabe muito bem o que segue, se é a Cristo qe segue ou a uma Igreja que se diz Universal e de certa forma a Unica Igreja, a verdadeira Igreja, aquela sem a qual ninguém poderá ser salvo, “ex ecclesia nullas salvus”.

Essa fé numa Igreja que salva já é um espaço na mente do homem moderno para procurar o sentido verdadeiro tanto da palavra igreja, como da salvação e quando ele encontra tem início a evasão.


II- IGREJA

A “Ecclesia” já é um objeto de estudo desde a reforma, até mesmo antes dela, ela se identificou primeiro como, “Igreja  de Jerusalém”, depois avançou não como denominação como assim chamavam, Igrejas de Samaria e Galiléia, e depois Igrejas espalhadas por todo o mundo conhecido. Depois das grandes perseguições, e depois também dos chamados “Pais Apostólicos”, Barnabé, Clemente de Roma, Inácio, Policarpo e Hermas, esses foram os “Patres aevi apostolici”, depois vieram, Pápias, bispo de Hierápolis. Clemente foi bispo de Roma, Orígenes e Eusebio, identificam-no com a pessoa mencionada por Paulo, (Fp 4,6).

Inácio foi bispo de Anioquia, Policarpo foi bispo de Esmirna até metade do primeiro seculo (157). Os chamados Pais apologistas Quadrato apresentou uma apologia ao Imperador Adriano , Aristides um filósofo cristão de Atenas escreveu sobre os costumes e a ética dos cristãos, Justino, o Mártir, o mais famoso advogado dos cristãos, Taciano, o Sírio,  foi discípulo de Justino, o Mártir   escreveu contra a cultura grega em relação ao cristianiso, mostrando que esse ultimo era muito superior, Atenágoras defendeu os cristãos da acusação de ateismo, Teófilo de Antioquia  foi o primeiro a se referir à Trindade, além desses, temos, Irineu e Hipólito de Roma, Hermias, o filosófo, Tertuliano, Quintus Septimius Florens de Cartago, foi um grande apologista, chegou a se afastar da Igreja católica e se unindo movimento montanista, mas retornou depois, Cipriano que foi decapitado perto de Cartago em 14 de Setembro de 258.

Também Orígenes que não foi incluído como Pai da Igreja muito embora para muitos ele seja, escreveu mais do que todos eles, no seu tempo ela era o mais famoso Teólogo do Oriente, Segundo o historiador Eusébio ele escreveu mais de dois mil livros.Depois desse movimento    a Igreja foi avançando até se tornar oficial com o Imperador Constantino, mas o édito de tolerância foi de Galério no ano 311 pouco antes de sua morte, Constantino e Licinios decidiram pela liberdade dos cristãos.

O Imperador Teodósio oficialisa o cristianismo e todos se tornam cristãos por decreto. A Igreja organizada termina por eleger um líder supremo e começa assim o papado como temos até hoje.
A história dos papas é cheia de horror e algumas luzes e bondades, mas passou para o povo a ideia nefasta da arbitrariedade, perseguições, fogueiras, etc. Com a Reforma nasce o livre exame das Escrituras, que Calvino e Lutero não apreciavam tanto como se imagina, mas não teve como segurar, e assim com o livre exame nasce as várias interpretações e com isso a semente das várias denominações cristãos como temos em nossos dias.

A Igreja portanto é uma somatória das denominações cristãs, entre elas temos aquelas que não tem a Igreja Católica como a Besta nem o Papa como Anti-Cristo, mas aquelas denominações fundamentalistas afirmam de “de pé juntos” e quase juram que o Papa é a besta e que eles são os eleitos. Um pequeno grupo que se isola e se salva como únicos salvos.
A Igreja Católica fornece os elementos para critica protestante.

O católico “povo”, aquele que não estuda a bíblia nunca foi discipulado, enfim, aquele que ignora tudo a cerca da Bíblia e do Evangelho especialmente, adota como pequenos “deuses” os santos que a própria igreja católica fornece para devoção, assim temos alguns santos que recebem nomes  estranhos como, “Nossa Senhora Desatadora dos Nos”, e por estranho que pareça essa santa foi trazida para a Argentina pelo Cardeal Jorge Bergoglio, o   atual papa Francisco.


III- Os motivos basicos da evasão.

Com toda a certeza o Papa Francisco não irá fornecer subsidios suficientes para conter a evasão de fiéis. O motivo quase oculto que leva os fiéis para outras igrejas “denominações” são os conhecidos como os 7 pecados que expulsa os fiéis para outras igrejas.

1- Ditar normas de conduta para as pessoas, esse é um “mandamento” católico que 90% dos fiéis não fazem a menor conta, no mundo moderno cada um comanda seu próprio destino e para isso conta  com livros de Auto Ajuda inclusive da própria igreja,

2- A Igreja “fast food”, essa é uma heresia de origem protestante que entrou na Igreja Católica, os próprios cantores pop da Igreja apelam para uma solução imediata, e o povo vai à igreja para resolver um problema e logo se afastam.

O povo católico não é evangelizado até por medo de que isso seja uma porta de saída para outras denominações, o próprio movimento carismático luta para conter, culto a imagens, culto somente a Jesus, e a fidelidade à Igreja Católica.

3-As mulheres não tem muito espaço na Igreja Católica, o que força um contingente imenso de mulheres migrando para as denominações protestantes,

4-A pedofilia é um pecado que destrói a fé católica, nos EUA choveu  denuncias e muitas Arquidioceses quebrou, faliu. na Irlanda o crime da pedofilia foi considerado pela Anistia Internacional como o maior crime  contra os direitos humanos.

O abuso sexual contra crianças não pode ser tolerado de forma alguma, e se espera do novo papa uma duro pronunciamento, não adianta acalentar esperança de que o povo vai esquecer de que seus filhos, crianças indefesas foram violentadas por padres pedófilos e deve ter muitos por aqui. O problema só não aparece com toda a sua feiosidade porque no Brasil é o país da impunidade.

5- Poucos lideres tinhámos no período da Ditadura, Dom Helder Câmara, hoje precisamos de um lider que denuncie a pedofilia e leve os pedófilos aos tribunais ainda que sem esperança de condenação pela vicio da impunidade e outras mazelas do Poder Judiciário.

6- Comunicação: A televisão é usada por todos  inclusive pelos católicos e usam bem, mas mostram exatamente aquilo que termina por fazer o fiel pensar se não tem algo errado. Cristo é Todo Poderoso, portanto tem os atributos divinos, mas eles apresentam auxiliares para milagres e outras bençãos, então diminuem Cristo por conta da crendice popular, isso termina por afastar aqueles que pensam. Acertam em abrir a mente do fiel para a paróquia eletrônica, mas não apresenta a solução do problema, a questão “fast food” termina sendo um motivo para evasão.

7- A perda da identidade social,

A Revista Isto é, que apontou esses 7 itens concluiu que, “Cada vez mais  os brasileiros, quando submetidos a censos, assumam que não seguem os dogmas defendidos pela Santa Sé, e a Igreja Católica perdeu o status de produtor de identidade social”, segundo Brenda Carrazna da PUC.
A Igreja Catolica imprimia na mente do povo a ideia de “ser católico”, como uma identidade, e tudo contribuia para isso, as festas, de Junho no Nordeste, que são populares, e até a invenção da Senhora Aparecida achada num rio, que todos sabem que se trata de uma historia de pescador mentiroso.  São essas coisas medievais que insultam a inteligência do povo e provoca evasão. Isso dificilmente o Papa irá explicar, mesmo o grave crime da Pedofilia não parece perto de uma solução, vai ser “empurrado com a barriga”, todos dirão agora, amém, mas no longo prazo descobrirá que tudo segue como sempre, semelhante à política brasileira, depois dos protestos se propõem um plesbicito e nada mais será feito.

CONCLUSÃO

A visita do Papa é interessante, mas representa muito mais uma festa católica do que uma tomada de posição em relação ao Verdadeiro Cristianismo mediante o Evangelo sem mistura, sem apelos a santos protetores e sem uma Igreja que deve tanta explicação à justiça, agora mesmo a ONU pede um esclarecimento sobre a Pedofilia e não se ouve uma resposta à altura, no entanto ainda é tempo de se ouvir um pronunciamento que demonstre o propósito do papa Francisco em reformar a Igreja Católica. Chegando ao Brasil suas palavras: “Não tenho ouro, nem prata, mas trago o que de mais precioso foi me dado, Jesus Cristo’, disse ele ao lado de Dilma: ‘Para ter acesso ao povo brasileiro, é preciso ingressar pela porta de seu imenso coração. Permitam-se bater delicadamente nesta porta”, são perfeitas para um Cristão, mas a Igreja Católica não tem essa cara, é preciso tirar uma nova Foto.

Bispo Primaz I.F. Barreto

Publicar uma resposta