Menu páginas
TwitterRssFacebook
Menu Categorias

Publicado por em jun 14, 2015 em Bispo Inaldo Barreto, Blog, Notícias | Ninguém comentou

MENSAGEM DO DIA DO PASTOR. Instigar

MENSAGEM DO DIA DO PASTOR. Instigar

 

O homem que incita contenda é visto pelos céus como um fraudador.

(Prov. 16.28-29)

Introdução: Aldous Huxley falando das pesquisas de cientista Poetzl chegou à conclusão que as pessoas ouvem e veem mais do que pode guardar, mas fica gravado no subconsciente e termina por influenciar sua maneira de pensar de sentir e de se comportar.

Quando alguém na Igreja se comportar com insatisfação com o rosto cenho ele transmite a mensagem da rebelião, instiga as pessoas a fazerem de acordo com o que ela pensa, logo começa a falar contra instigando os ouvintes, o mesmo fazia os judeus no Sul da Palestina e também por onde Paulo passava pregando para eles.

Quando na platéia uma mulher começa a retocar a maquiagem, alguém do lado começa a mascar chiclete e a conversar sem parar, é porque uma rebelião inconsciente se movimenta na mente e transmite a mensagem subliminar às outras pessoas.

I – INSTIGAÇÃO

Um artigo de Georges Minois, descreve a confusão do clero durante 25 anos no século XVII. Na França se ouve o primeiro grito de alarme: “inundados” pela Assembléia Geral do Clero. A repetição de tais queixas, que se ampliaram no decorrer dos anos foi um eco do aumento da descrença no reino, diziam os lideres da época.

Fomos “Inundados” gritaram os líderes religiosos, inundados de “livros ímpios e de libelos infames, nos quais a religião é ultrajada da maneira mais sangrenta”. Tais obras, “são procuradas e lidas avidamente” diziam as autoridades religiosas, sem saber o que fazer para deter a onda de difamação.

Eles se preocupavam com os livros Deistas, em certos momentos eles declaram que esses males são tão ofensivos e aflitivos porque parecem tolerados. Outro documento foi publicado com o título: “Mémoire au roi” (Memorando ao rei) eles pedem punição rigorosa, para assm prevenir os fiéis dos “perigosos efeitos da liberdade de pensar”. Um absurdo, hoje a liberdade é um direito fundamental do homem, claro que não significa invadir a casa do vizinho e pixá-la com palavrões. A Lei deve manter a ordem e evitar a anarquia e o caos. O Centurião cuidava disso na Palestina.

No ano de 1770, a liderança cristã na França grita de novo: “Cada dia é marcado por uma nova produção da impiedade”. Não é possível extrair as proposições condenávies: os livros inteiros estão contaminados. Não há limite que a impiedade não tenha ultrapassado. Um tal livro foi tão criticado que foi achado como, “a produção mais criminosa talvez que o espírito humano jamais ousou engendrar”.

Imaginem as marchas o grupo GLBT faz com o propósito de difamar a pessoa de Jesus e a família brasileira?

É preciso contra-atacar concluiu a liderança religiosa, então eles procuram os teólogos para fazerem a defesa da igreja, mas não encontraram nada convincente, eles apelam para os artigos da velha guarda com argumentos com mais de 1500 anos contra os ataques dos filósofos modernos. Foram sensatos mas não estavam preparados para lidar com o problema da difamação religiosa.

Então os religiosos não sabendo mais o que fazer, apelaram para um folheto: “Advertência aos fiéis sobre os perigos da incredulidade”.

Por volta do ano 1778 a liderança religiosa da França entra em pânico: “incredulidade que atinge todas as idades,o sacrilégio, veneno que tenta contaminar as entranhas da religião, o mostruoso ateísmo transformado em confissão pública, tudo isso dizia a liderança religiosa: “é uma fatal influência sobre os costumes”. Corremos esse risco, pois as nossas crianças assistem a tudo isso sem nenhuma censura. É pública e notória a difamação religiosa no Brasil.

Então semrpe houve afronta à igreja, o importante é saber contornar e com sabedoria providenciar um texto legal que possa coibir tais práticas.

No Novo Testamento ocorreu um fato semelhante, os judeus incitavam a multidão contra Cristo na pessoa de Paulo e Barnabé.

“Mas os judeus incitaram algumas mulheres religiosa e honestas, e os principais da cidade; e levantaram perseguição contra Paulo e Barnábé, e os lançaram fora dos seus termos”

II – INSTIGAÇÃO HOJE NO BRASIL

A incitação dos cristãos brasileiros contra o grupo LGBT tem causado preocupação, alguns líderes se pronunciam na mídia: “Olha o que eles falam de nós” , eles abusam dos nossos smbolos, etc. E aconselham: “Vamos fazer uma grande passeata de norte a sul desse país”. Com certeza com a intenção de demonstrar a força pelo número. Isso nos induz a pensar: “Somos muitos e podemos impor a nossa vontade”. Um perigo essa maneira de evangelizar, pois ser parece mesmo um método da Idade Média.

Acontece que, nem todos os símbolos que os gay desprezam e afrontam são propriamente símbolos da igreja evangélica, por exemplo, a cruz e hóstia são símbolos mais católicos do que evangélicos. Então esses líderes dizem:”nossos símbolos”, mas diziam há muitos anos atrás que o católico quando fazia o Sinal da Cruz na testa fazia o sinal da besta, porque a igreja Católica era a Besta do Apocalipse. Eles precisam primeiro se retratar desse comentário infeliz, pedir perdão publicamente à Igreja Católica.

Alguns evangélicos aceitam a Cruz, principalmente os membros das igrejas históricas: Metodistas, Presbiterianos, Luteranos, Episcopais em geral.

A marcha com Jesus, ou Marcha para Jesus parece tender para o confronto, mesmo de palavras e isso é incoveniente, torna a marcha algo meramente político. Imaginem se as duas frentes se confrontrarem de súbito numa esquina, poderá ocorrer morte, pisoteamento, enfim se alguém for gravemente ferido de um lado ou de outro será notícia pelo mundo afora testemunhando contra os cristãos da Igreja

brasileira. Temos que evitar esse confronto de palavras que poderá se transformar em confronto físico e causar “ipso facto” alguns feridos e até mortos. Tudo o que eles querem é um mártir.

Nossa posição é de respeito, quem quiser ser gay que o seja e tente ser feliz por isso e deixe os outros em paz.

Quem é cristão dê seu testemunho de cristão. Em alguns momentos o silêncio é uma boa estatégia, e se quiser postar algum comentário não se permita compartilhar as obscenidades de grupos derrespeitosos. Apenas argumente.

E o Estado tem que fazer prevalecer a ordem, não deve permitir que difamem a pessoa pública de Jesus, sobretudo porque Ele é o guardião da família brasileira e também o simbolo mor na maior parte do mundo civilizado. O Centurião cuidava da disciplina porque havia uma Lei que determinava os limites para o povo.

A liderança cristã do Brasil não pode levantar a bandeira da marcha nacional contra qualquer grupo, pois isso pode parecer oportunismo político, e constitui fraude, a Bíblia não aprova aquele que levanta contenda e o chama de Tapukâh :תּהפּכה.

Se quisermos protestar contra a roubalheira, contra a injustiça, a impunidade, contra o aparelhamento do Estado, isso pode ser feito em ordem com disciplina.

Nos livros poéticos encontramos o homem instigador, aquele que leva outros à fúria, ao desentendimento. Um provérbio datado de aproximadamente 1000 a.C fala de alguém quando sistematicamente desobediente, que também se traduz por fraudulento tem o costume de levantar contendas. Esse homem é o Tapukâh :תּהפּכה. De repente até um cristão pode se transformar num “tapukâh”, basta para isso se ocupar de apenas criticar publlicamente o comportamento alheio com uma mensagem pouco caridosa.

Irmão gêmeo do homem perverso é o fofoqueiro נרגּן o (nirgan) a raiz dessa palavra fala de um rolo de pedaços, aquela fala cheia de “pedaços” de infâmia.

Quando Jesus iniciou o seu ministério na Judéia estava próxima a Páscoa e os judeus “comerciantes” estavam plantados lá com suas barracas com bodes e pombas para o sacríficio, então Jesus: “Tendo feito um azorrague de cordas, lançou todos fora do templo, bem como as ovelhas e os bois; e espalhou o dinheiro dos cambistas, e virou-lhes as mesas” .

No Sul da Palestina os judeus com as mãos no bolso desprezavam a pregação e o pregador, Jesus então segue para a Galiléia.

Hoje em dia o “espírito” de revolta se manifesta em algumas mulheres que retocam a maquiagem em pleno culto, mascam chicletes em tom de deboche e conversa com as irmãs do lado, da frente de trás, assim também alguns homens preferem discutir futebol ou ficar em pé lá atrás sem prestar atenção na mensagem.

A mensagem de revolta e indisciplina se dá por dois meios, pela sublimação, pela maneira como se comporta olhando a pregação e o pregador. Aquele rosto cenho indignado e distraido é uma mensagem subliminar aos outros à sua volta.

A instigação é um dos maiores males do nosso século, e fica muito mal quando um líder seja ateu ou cristão instiga o seu próximo para contender e correr o risco de ser responsável por qualquer acidente no percurso.

Fico pensando, se um grupo de milhares se encontra com outro grupo também de dezenas de milhares e se ambos são incitados à violência. O que poderá acontecer?

Aos cristãos da IMR pede-se respeitosamente que: Enquanto a marcha com Jesus tiver esse cunho político, e pretender afrontar grupos militantes tais como LGBT que evite participar para o bem do Evangelho. E se alguém tentar difamar o Altissimo pode acreditar que ele zelará pelo seu nome e aquilo que o homem semear isso ceifará. A Arca da aliança não cairá, mas o Senhor mesmo a sustentará. Uzá não fez bem.

Por outro lado a igreja brasileira pode solicitar aos deputados , todos inclusive os sem religião e até ateus que elaborem um projeto de Lei que possa coibir as difamações religiosas. Especialmente essas feitas nas passeatas onde a familia brasileira é ultrajada sem nem motivo que justifique tal ultraje. Até na Rússia já existe uma Lei que protege a religião e os religiosos.

Assim, o importante é que, O Deus da Paz nos santifique em tudo. E a paz celestial esteja com todos.

IFBarreto

Bispo Primaz

Publicar uma resposta