Menu páginas
TwitterRssFacebook
Menu Categorias

Publicado por em nov 22, 2015 em Bispo Inaldo Barreto, Blog, Notícias | Ninguém comentou

SEGUNDA VINDA E AS PROFECIAS DE HOJE

SEGUNDA VINDA E AS PROFECIAS DE HOJE

“Os muçulmanos radicais pregam e vivem o ódio religioso”

Esse é um sinal do fim dos tempos?

Essas pregações sobre a segunda vinda baseada nesses fatos não condiz com a verdade, se ele, o próprio pregador acreditasse teria que renunciar urgentemente a tudo o que tem, talvez vender tudo e doar o dinheiro aos pobres. No entanto ele prega fala de visões, mas parece que se trata de imaginações, e o povo se entusiasma, acredita, etc. Mas é claro que o pregador não acredita no que prega. Paulo quando falava “Maranata” significava que Jesus estava às portas, e ele vivia isso, e ensinava que “O que quero dizer é que o tempo é curto. De agora em diante , aquele que tem esposa, vivam como se não tivessem” (1ª Co 7.29).

Para ele Cristo estava voltando e o tempo do fim estava mesmo próximo. Então ele Paulo vivia de acordo com o que pregava, não se importava com riquezas e aconselhava o mesmo, mas não é isso o que acontece com os pregadores do fim dos tempos nos dias de hoje, eles falam, mas não vivem o que pregam, pois a vida continua como se nada do que falou fosse de fato verdade. Muitos pregadores aí onde você mora nos Estados Unidos, vão na TV e falam da Segunda Vinda, chegaram até a marcar data, (23.09.2015), e anunciavam ao mesmo tempo os livros que falam desse tema, venderam milhares de exemplares, mas o fim não veio, mas arrecadaram bem com essa ideia do fim.

Assim não acredito nessas visões, nessas pregações porque esses pregadores não vivem o que pregam. Engana o povo. O fim pode ser a qualquer dia a qualquer hora, as desgraças que se sucedem não é a chave do segundo advento, e os sinais que identificam esse dia temos no Evangelho de Mateus, guerras e rumores de guerras são sinais, mas não indicam a iminência do Reino de Deus.

Quando o Sol escurecer e a lua não der a sua luz, e as estrelas cairem do céu, então será mesmo o fim, a maioria dos eventos acontecem todos os dias, todos os anos, agora temos os muçulmanos irados contra o Ocidente, isso não é motivo para enfatizar a Segunda Vinda como se fosse para agora mesmo, que tem um relógio acelerado, etc, essa mensagem passa a ideia que será agora mesmo, e o povo acredita e depois descobre que não é verdade. Isso engana o povo, que fica ansioso dizendo: “Jesus está voltando”.

O pregador se promove como profeta e o povo segue sendo enganado. Temos que parar com essa hipocrisia, se o mundo vai acabar tão breve assim, eu tenho que vender meus bens, doar o dinheiro aos pobres, não posso enviar meus filhos para estudar no exterior, adquirir casas, comprar carro importador, etc; se o mundo vai acabar tão breve como dou a entender, se estou bem consciente de que Jesus está voltando, não posso falar isso e ser hipócrita só para vender livros e deixar o povo eletrizado.

Agora observe que Jesus marcou definitivamente a separação do velho e do novo, a própria transformação da água em vinho ensina isso, Ele fala no Evangelho de Marcos que, não se coloca vinho novo em odres velhos, nem remendo novo em pano velho. Essa história de templo para Salomão não tem nada a ver com o Evangelho, “….Eis aqui quem é maior do que Salomão” ( Mateus 12.42). Para Jesus o judaísmo chegara ao fim como um pano “palaios” (velho). Junta o novo com o velho só vai aumentar o tamanhodo rasgo. Essa palvara colocada no fim do verso é, σχιζω “skizo”, ( dividir, cortar, rasgar), de onde temos, σχισμα “skisma”, cisma.

Essa união do Velho com o Novo só tem produzido “σχισμα” (cisma), isto é, um afastamento, uma divisão, uma dissensão em relação ao Evangelho de Jesus.

Parece que, a Igreja de hoje tem uma atração formidável para a Lei de Moisés e as tradições judaicas, quando o pastor introduz o Candelabro, e introduz a Arca conduzida por obreiros vestidos como os levitas e clama ao povo para que considere isso um culto, e que tocar na arca trará bençãos ou coisa assim, isso é pano velho, é tratar a igreja como necessitada de remendo. O texto de Marcos fala de quem coloca remendo de pano novo em roupa velha, o evangelho é pano novo, e não pode ser colocado como remendo em roupa velha, ele é todo novo assim como o vinho é todo novo.

O judaísmo é como uma vasilha de couro velha.

Ou a igreja toma uma atitude e abraça apenas o Evangelho ou vai se defrontar com uma grande crise hermenêutica muito em breve.

Publicar uma resposta